Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Veja o vídeo e Registre-se na 1000EXPERT



calendário

Novembro 2011

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930


Pesquisar

 



Links

Ministério da Saúde

Medicina Dentária no Moçambique

Blogs do Moçambique


subscrever feeds





Por que a anestesia às vezes não funciona?

Terça-feira, 29.11.11



Existem alguns motivos que justificam a possível falha da anestesia:

A – Idiossincrasia: é a variação individual de cada cliente. Cada um responde de uma maneira diferente. A quantidade de anestésico pode ser suficiente para um e para o outro não;


B – Variações anatômicas: Cada indivíduo apresenta uma estrutura óssea diferente. Tais diferenças podem ocasionar modificações nas posições dos locais mais “comuns” das inervações.

Um exemplo disso é a posição do forame (orifício) mandibular, por onde entra o nervo alveolar (dentário) inferior. Em uma criança, este forame situa-se um pouco mais baixo, devido à inclinação do ramo mandibular na criança. Neste caso, a agulha deve ser inclinada um pouco mais para baixo para sucesso da técnica;

C – Qualidade óssea: Um osso mais poroso tende a absorver melhor a anestésico, ocorrendo o contrário com um osso mais denso;

D – Inervação cruzada e acessória: Uma determinada região pode estar recebendo ramos nervosos da área do lado oposto, sendo necessário complementar a anestesia no lado oposto ou a região adjacente;

E – Variações patológicas: Alterações no desenvolvimento dos maxilares (explicado no item B) e inflamações e/ou infecções no local;


F – Relacionado com o material: tipo de material, validade do material e uso de vasoconstrictor na composição.

fonte: http://drwilsoncorreia.blogspot.com

"Para ter uma boa saúde geral, visite seu Médico Dentista regularmente"

Autoria e outros dados (tags, etc)

Anestesia no consultório do dentista

Domingo, 27.11.11




- O que é anestesia? É o ato de suprimir os estímulos dolorosos através de um medicamento anestésico.

- Qualquer pessoa pode tomar anestesia? Antes disso, a pessoa deve responder a um breve questionário de saúde, padronizado pela ASA (Sociedade Americana de Anestesiologia), que determina o risco anestésico e cirúrgico. Com base em suas respostas, o profissional terá condições de informar se ela está apta a submeter-se a tratamento odontológico com anestesia. Mas, para seu conforto, já lhe adianto que esse procedimento é muito seguro e que a variedade de medicamentos disponíveis proporciona muita segurança.

- Existe contra-indicação? Sim, e elas podem estar relacionadas ao agente anestésico ou ao vasoconstritor. Com relação ao vasoconstritor, os pacientes com pressão alta não tratada ou não controlada, hipertireoidismo, feocromocitoma, sensibilidade aos adultos e usuários de antidepressivos triciclos, compostos fenotiazínicos, cocaína e "crack", têm limitações no uso de anestésicos.

- Uma pessoa com 70 anos também pode tomar anestesia? Com o passar da idade, muitas alterações podem aparecer, as quais podem contra-indicar ou não o procedimento. Como foi explicado no item acima, se o paciente apresentar algumas dessas alterações, o uso do anestésico pode estar temporariamente contra-indicado. Nesse caso, ele é encaminhado ao profissional médico habilitado, e após a sua liberação, o procedimento de anestesia é realizado.

- Gestantes podem tomar anestesia? Sim, o estado de gravidez não contra-indica o procedimento anestésico. Porém, se for possível, é mais aconselhável o uso de anestesia entre o terceiro e o sexto mês de gestação.

- Quais são os tipos de anestesia? De uma maneira bem abrangente, a anestesia pode ser local ou geral. A anestesia local é administrada pelo cirurgião-dentista do próprio consultório. A geral deve ser feita pelo médico anestesista em hospital ou clínicas apropriadas.

- O que é sedação consciente? É um procedimento realizado pelo cirurgião-dentista e pelo médico anestesista, a fim de proporcionar maior conforto ao paciente, em casos de pacientes ansiosos ou com medo de ir ao dentista. Esse procedimento é realizado combinando-se a ação do anestesista (através de medicamentos relaxantes) com a do cirurgião-dentista (por meio de anestésicos locais), proporcionando conforto e eficiência anestésica em grandes procedimentos ambulatoriais.

- Por que, às vezes, a anestesia demora mais para passar? Provavelmente devido ao tipo de tratamento realizado. O profissional irá escolher o tipo de técnica, a quantidade e o medicamento. Nesse caso, quando o procedimento é simples, geralmente a anestesia passa rapidamente, ao contrário do que acontece em procedimentos longos, nos quais o profissional necessita de maior quantidade de anestésico.

- Qual é a quantidade máxima de anestésico que se pode tomar? Geralmente, os medicamentos são feitos para, em média, serem administrados 10 tubetes de anestésico em dose de segurança. Deve-se lembrar que o medicamento é composto pelo agente anestésico e pelo vasoconstritor. Em alguns casos em que está contra-indicado ou restrito o uso do vasoconstritor, a quantidade deve ser diminuída.

- Como eu posso tomar uma anestesia sem dor? Quando se pensa em anestesia, a primeira lembrança é o desconforto devido à picada da agulha, mas isso não mais ocorre. Hoje, com os cuidados pré-anestésicos que envolvem desde a utilização de medicamentos tranqüilizantes até o uso de anestésicos tópicos fortes, o incômodo do procedimento de anestesia diminuiu muito, chegando a não ser notado, dependendo da relação de confiança entre o paciente e o profissional.

- Existe algum aparelho que aplique a anestesia para proporcionar conforto? Sim. O conforto durante a anestesia é estabelecido quando uma pequena quantidade de anestésico é injetada continuamente por um maior período de tempo. Um aparelho dotado de microprocessador pode injetar a anestesia de forma lenta e contínua, diminuindo o desconforto do procedimento de anestesia.

"Para ter uma boa saúde geral, visite seu Médico Dentista regularmente"

Autoria e outros dados (tags, etc)

Algumas perguntas sobre endodontia

Sexta-feira, 25.11.11

O que fazer quando o canal não pára de sangrar? 

Hemorragia durante e após a limpeza e modelagem é um evento incomum, geralmente causado pela falha na pulpectomia. Na maioria das vezes, o próprio preparo químico mecânico remove o tecido pulpar, cessando o sangramento. Caso ele persista, pode-se tentar estancar a hemorragia com cones de papel. Se ainda assim não for possível estanca-la, coloca-se o cone de papel com a ponta envolvida com Hidróxido de Cálcio. Assim que o sangramento cessar, executa-se a limpeza do coágulo sanguíneo com hipoclorito 5,25%, secagem e obturação.

 

Qual o cuidado observado ao usar teste elétrico?

Não pode ser utilizado em pacientes portadores de marca passo.

Teste de cavidade: quando usar?

É aplicado somente quando todos os outros testes são inconclusivos.

Como agir com pacientes com febre reumática?

Devem ser pré-medicados com antibióticos. O protocolo mais utilizado é 2g de amoxicilina 1 hora antes da intervenção.

Pacientes portadores do vírus da AIDS podem fazer tratamento endodôntico?

Esses pacientes apresentam menor risco com tratamento endodôntico do que com extração.

Como proceder o tratamento em pacientes gestantes?

Essas pacientes devem, idealmente, ser tratadas após o parto ou no segundo trimestre da gestação. Entretanto, em casos de emergência podem ser tratadas em outros períodos para alívio da dor. É importante evitar radiografias ao máximo e não utilizar anestésicos à base de prilocaína e mepivacaína.

"Para ter uma boa saúde geral, visite seu Médico Dentista regularmente"

Autoria e outros dados (tags, etc)

Registre-se na 1000expert




Flag Counter




Pág. 1/7